Categorias

Saiba como tornar o seu produto em Clean Label

A mudança no perfil do consumidor tem provocado uma série de adaptações das empresas. Só para ilustrar, a formação de uma consciência ambiental mais madura tem feito com que este público exija que as marcas que consomem também se engajem nesta causa.

Mas essa conscientização pode ser estendida. As pessoas estão cada vez mais esclarecidas quanto à relação direta entre uma boa alimentação para a saúde e o bem estar. E em resposta a essa crescente procura por ingredientes naturais, especialmente nas indústrias de alimentos, deu origem a um conceito cada vez mais consolidado: O Clean Label.

O que é clean label?

Nos sites de busca, que se tornaram a principal referência de “prova social” dos consumidores, é cada vez maior a pesquisa pelos produtos ‘sem’, ‘orgânico’ ou ‘livre de’, expressamente na contramão dos aditivos artificiais. O clean label se baseia exatamente na produção a partir de ingredientes naturais, ou seja, minimamente processados.

O termo clean label pode ser traduzido como “rótulo limpo”. E há uma explicação para isso: sabe aquela leitura do rótulo em que nos deparamos com nomes fora da nossa realidade, que dificultam a interpretação? A tendência clean label vai de encontro a isso, baseando-se na simplicidade: os rótulos informam os componentes de forma clara, com uma lista “limpa” e ingredientes que podem ser facilmente identificados como benéficos ao organismo.

Como tornar o meu produto em clean label?

Em primeiro lugar, por mais que o conceito de clean label possa ser facilmente interpretado, não há um consenso de quais diretrizes devem ser respeitadas para que um produto de fato seja clean label. Ademais, como se trata de um conceito recente, cada consumidor tem uma interpretação diferente (ainda que semelhante) do que a tendência realmente significa.

Em todo caso, isso não significa que a indústria de alimentos não tenha propriedade para aplicar o clean label no desenvolvimento de produtos e embalagens.

O primeiro passo é fazer com que o seu produto seja livre de ingredientes químicos, como corantes, conservantes, aromatizantes, realçadores de sabor, entre outros.

Depois, será necessária a transparência da indústria em comunicar o perfil do produto ao cliente. Explica-se: há muitos aditivos de nomes difíceis que, em quantidades menores, não necessariamente fazem mal à saúde. É preciso haver jogo de cintura para que o consumidor seja devidamente educado nesse primeiro contato com o rótulo.

Vamos para a prática, onde é possível evidenciar que o processo de transformação de um produto em clean label é complexo. A Nestlé, por exemplo, tornou-se a primeira a vender uma linha completa de UHT clean label, como o Ninho. Isso só possível, entretanto, a partir da intervenção no processo de ordenha, manipulação e envasamento.

Os produtos clean label ainda são vistos como “de nicho”, mas já estão ganhando a preferência do consumidor. Gostou das dicas? Para saber mais sobre o nosso trabalho, clique aqui e conheça a nossa gama de produtos!